s.f. (...) indicação de que alguém "encontrou finalmente a última peça do quebra-cabeças e agora consegue ver a imagem completa".

(Psiu: Sobre aquela falta de ideias)

12.12.12

Dopamina


É como um baque. Um baque muito forte. 
Uma batida que expôs meu corpo a uma inércia tremenda. Toda a musculatura se contorce, toda a capacidade cognitiva se esvai. A mente não foca em nada. Só fica a turva visão do mundo. Como se estivesse dopada. 
Prende-se à figuras ilustrativas para chorar nos cantos; lavar a louça, tomar um banho. 
Tudo é desculpa. 
É assim que ela se pune por se entregar demais. O corpo se assemelha às suas expectativas: frustrado, desleixado e perene. 

Tomarei um copo de água pra ver se a ressaca passa.

2 comentários:

Bruna Bianconi disse...

Por mais complicada que a situação seja a gente nunca deve se culpar por se entregar demais.
E chega um dia que a gente aprende a medida exata de se entregar, tudo graças a essas ressacas.

Gabri(ela). disse...

Obrigada, Bianca. De verdade :)